sábado, 25 de abril de 2015

25 de Abril

Passados 41 anos sobre esta data tão especial para o povo português, pergunto-me muitas vezes até que ponto continuamos livres. Não posso falar de como eram as coisas antes da revolução de Abril, porque nasci anos mais tarde, numa era onde se começava a falar da entrada na C.E.E. e tudo parecia ser fácil e maravilhoso. [ironia] Já naqueles tempos as coisas andavam mal e todos sabiam disso, mas o importante era fazer com que Portugal entrasse para a C.E.E. para ter acesso aos fundos comunitários que lhe permitiriam recuperar algum do imenso atraso em que estivera devido a inúmeros factores ao longo dos séculos.

A crise, essa malfadada "carrasca" dos portugueses, já coabita entre nós há mais de 150 anos. Camilo Castelo Branco, entre outros escritores, descreve nos seus textos, momentos e episódios tão semelhantes aos que vivemos na actualidade, que constatamos o óbvio. O problema português reside no todo.

Culpamos os políticos, mas a verdade é que todos nós temos culpa pelo mal em que isto está. Dá trabalho mudar as coisas? Dá. Custa mudar? Custa. Veremos resultados a curto prazo? Não. Mas se não fizermos rigorosamente nada, continuaremos sempre assim. É preciso que todos se mexam, não podemos esperar que sejam só os outros a fazê-lo. "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades", já dizia o poeta. Mudam-se os governos, mas os problemas reais permanecem inalterados. Os ricos continuam mais ricos e os pobres continuam mais pobres. E no meio disto tudo, perdeu-se a noção de Liberdade.

Porque afinal, o que raio significa a Liberdade?

Dizer aquilo que pensam ou querem, quando querem e bem entendem, como fazem a maioria dos miúdos hoje em dia, que não respeitam nada nem ninguém, nem os próprios pais? Filhos que detém o poder de ameaçar e chantagear os pais à mínima coisa, onde já se viu? É isso a Liberdade? Fazer greves a torto a direito, prejudicando milhares de pessoas inocentes, porque "meia-dúzia" de pessoas querem ter mais e melhor salários do que aquilo que já recebem? Pessoas que vão para as redes sociais comentar agressivamente aquilo que os canais de televisão/jornais colocam lá? Eu por vezes fico parvo ao ler as discussões e disparates que se geram, pessoas que se insultam entre si, apenas por discordância de ideias, partem logo para a violência verbal. Existem outras a esconderem-se atrás de perfis falsos e/ou anónimos para denegrir a imagem de outras pessoas, fazendo comentários malvados/maliciosos/degredantes. E nem vou pegar noutros exemplos da [falta de] Liberdade, já que isso daria pano para muitas mangas...


Viva a Liberdade! Que a saibamos Estimar, Valorizar e sabê-la Usar com Sabedoria!

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Pedro Xavier lança: Dois Mundos!

Qual a melhor forma de celebrar o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor que com um lançamento de um livro? :D


No próximo dia 2 de Maio, no Centro LGBT da ILGA em Lisboa, às 18:30, Pedro Xavier estará presente para lançar a edição em livro de Dois Mundos, que integra os 5 volumes que já disponíveis em versão ebook aqui.

A editora do Pedro pede o favor de confirmarem antecipadamente a presença, por uma questão de organização, agradecendo desde já a vossa atenção. Devem fazê-lo enviando um email para: indexebooks.com@gmail.com


Mas não é tudo! O Pedro decidiu promover um giveaway da série "Dois Mundos" que terá como prémios 2 livros e 2 ebooks da edição integral da série! Para participarem vocês têm de:

1) Seguir a conta dele no Instagram: @bookguardianpt e a dos seus editores: @indexebooks;

2) Fazerem Tag a 2 amigos vossos num comentário à primeira foto do concurso (a da lupa que está no Instagram);

3) Publicarem na vossa conta Instagram uma foto da frase desta série que considerem a melhor da história e colocar na descrição a hashtag ‪#‎pedroxaviergiveaway‬ (não vale usarem a foto dele!);

4) Na descrição, deve estar também o volume e a página de onde retiraram a frase;

5) Será aceite apenas uma frase por participante!

Os vencedores serão anunciados no dia 30 de Abril e os prémios serão "entregues" no dia 2 de Maio no lançamento da série. Para mais informações: https://instagram.com/p/10dqhMCzXY/

platão-plato
Boa Sorte e Boas leituras! ^^

terça-feira, 21 de abril de 2015

Sombras da Luz: Capítulo 6

Podem ler os capítulos anteriores e/ou outras histórias clicando aqui.

sombras-da-luz-shadows-of-life
Sombras da Luz ~ Capítulo 6:
"Confidências" 

- Mas afinal o que foi que te aconteceu? - inquiriu João, tentando não olhar para o corpo desnudado de Hórus.

Rindo-se, tratou de procurar umas peças de roupa que eventualmente lhe pudessem servir.

- Caramba, tu és mesmo muito alto, não sei se tenho roupa que te sirva cá em casa! - prosseguiu, enquanto se ria divertido e abanava a cabeça.

- Oh… Eu não preciso! Por mim… Posso andar assim, sem roupa nenhuma. Não te incomoda, pois não? - perguntou Hórus, tirando os “farrapos” que outrora considerara a sua armadura. - Neste planeta até estou bem melhor assim…

- Por mim, não há problemas! - respondeu João, corando imenso quando viu Hórus completamente nú à sua frente.

Este começou-se a rir, divertido.

- Vocês humanos são muito fáceis de ler! Tu és um humano particularmente engraçado, deixa-me que te diga. Não precisas de ter vergonha de apreciar a beleza de um deus. No fundo, todos somos um só. Por isso, ao apreciares a minha beleza, estás a apreciar-te a ti mesmo.

João embatucou e nada disse. Ficara sem resposta. Hórus voltou a rir-se.

- És um querido. A sério. Estou muito feliz por estar aqui contigo. Agradeço-te por teres cuidado de mim e por me teres salvo. Sem ti, provavelmente eu já não existiria….

- Ora essa, não digas isso, Hórus! O mérito é teu. Aliás, quem me deu a chave em primeiro lugar foste tu, por isso… Mas, já agora, queres fazer o favor de me explicar o que se está a passar? Como é que do nada me aparece um deus do Egipto na minha sala, doente, a vomitar coisas horríveis? Ohhh! Ainda mais essa! Tenho que ir limpar aquilo! - exclamou João, batendo com o punho na cabeça, sem dar tempo a Hórus para falar.

- Tem calma! - trovejou Hórus e o Tempo parou. João ficou estático no Tempo sem se poder mobilizar. - A culpa disto é minha, o mínimo que posso fazer é ser eu a cuidar disto…

E assim, Hórus convocou Ammit, um demónio verde-veneno em forma de crocodilo, com cabeça de leão e patas de cão, que nos Tempos Antigos se julgava ser o Patrono do Julgamento Divino. Hórus explicou-lhe o que se passara e pediu a este para devorar os despojos que ele largara na sala. Ammit aceitou e devorou-os, já que entre os pedaços estavam órgãos internos de Hórus que, depois de implantada a cruz Ankh, haviam sido restaurados. João observava tudo imóvel, sem se poder mexer. Depois de devorar os despojos, Hórus deu ordem a Ammit para se ir embora e este desapareceu. O Tempo deixou de estar parado e João caiu ao chão.

- Como é que fizeste aquilo? - perguntou.

- Agora que recuperei completamente, estou na plena posse dos meus poderes, meu jovem amigo. Sou capaz disto e de muito mais! Que tal se te sentares? Preciso de conversar contigo… - declarou Hórus, com um ar sério.

João sentou-se num dos sofás da sala. Convidou Hórus a sentar-se também, atirando-lhe uma almofada para ele colocar sobre as pernas.

- Porquê isto? - perguntou Hórus, confuso.

- Porque senão vou-me distrair a olhar para isso! - respondeu João apontando e rindo-se em seguida. - Por favor, conta-me lá então!

Hórus riu-se e começou a falar. Contou tudo desde o princípio. Que tinha sido convocado um Concílio, a reunião no Jardim dos Deuses, a chegada de Chibi e dos Principados e que ele tinha armado uma discussão com os Principados e que um destes tinha ripostado…


- … E depois ele baixou o capuz! Nem imaginas quem ele era! Vê lá tu que o Ángel é um dos Principados! É o Principado da Chama Verde! Ups…! - exclamou Hórus levando a mão à boca. Já falara demais.

João não podia acreditar! Com os olhos marejados de lágrimas, perguntou:

- O Kit-chi? O meu Kit-chi? O meu falecido noivo é um dos Principados? Isso quer dizer o quê?

Arrependido de ter falado no assunto, Hórus decidiu abrir o jogo. Sabia que João não podia saber toda a verdade ainda, mas aquela verdade ele deveria saber. Ele merecia saber aquilo.

- É verdade. O Ángel é um dos Principados. Por outras palavras, isso quer dizer que ele é um dos Guarda-Costas do Criador de Tudo. João, ele é o Destino Personificado. Ele veio à Terra para cumprir uma missão e ajudar-te a Despertar. Era só isso. A vossa missão era essa. Está na hora de tu seguires em frente e libertares o teu coração, de uma vez por todas.

João suspirou e baixou a cabeça, destroçado. Quando recuperou do choque, desabafou:

- Tenho medo, Hórus, tenho muito medo… Que me vai acontecer se largar o que me resta? É tão complicado gostar de alguém… Eu sei que tenho sido muito egoísta em manter-me conectado a ele, mas… Neste momento, ainda não consigo fazer isso. Talvez daqui a mais algum tempo, me sinta preparado para isso*. Agora que já estou a saber disto… Aconteceu mais alguma coisa?

* [Na vida real, por fim, isso aconteceu.]

Hórus levantou-se e seguiu até uma das janelas da sala. A sala era muito ampla. Simples, bonita e confortável. Observando o que se passava no jardim, prosseguiu:

- Chibi-sama, o Criador, estava a falar-nos sobre um mal que anda a provocar problemas pelo Universo inteiro, mesmo entre as diversas dimensões. Ele e os Principados estavam a combater contra as Potestades, mas tiveram de se bater em retirada pois este mal era demasiado forte. Falando nele, olha, de repente, apareceram no Jardim dos Deuses dois vultos misteriosos que traziam consigo uma arma invencível. Essa arma, um ectoplasma, tem o poder de petrificar e sugar os dons e a energia vital das suas vítimas. Os vultos fecharam as saídas do Jardim dos Deuses. Não sei o que aconteceu a Chibi, pois ele desapareceu. Sei que Vesta, a Guardiã do Fogo Sagrado, foi morta à minha frente pelos vultos e que os Principados foram atacados de surpresa pelas costas pelo estranho ectoplasma, acabando petrificados. Eu próprio tentei combater contra aquela coisa, mas sem grande sucesso. Aquilo arrumou comigo com um só golpe. Quando dei por mim, já estava nas costas de Árion, um Pégasus Alado, a caminho de um local onde me pudessem tratar…

João olhava para ele boquiaberto! Não só acreditava em tudo o que Hórus dizia, como, se fechasse os olhos, conseguia ter “flashes” de alguns dos horríveis momentos que este havia passado.

- E acabaste por vir parar à Terra como? - perguntou.

Hórus voltou a sentar-se.

- Os Mestres Ascensos tentaram curar-me de diversas formas. Fui tratado pelo maior Mestre de Cura que existe, mas mesmo ele, revelou-se incapaz de me salvar. Por fim, descobriram que a única forma de me curar seria se eu recuperasse a minha chave. Ela é o meu Selo Divino, entendes? Sem ela, eu acabaria pior que morto… Mas há outro motivo! - Hórus voltou a levantar-se. - Onde estão as minhas roupas?

- Na sala onde estive a fazer-te o tratamento, porquê?

Hórus encaminhou-se para lá, seguido de João. Chegados lá, para espanto de João, as roupas que outrora estavam um “farrapo”, começavam a regenerar-se. Com elas, surgiu uma lança em ouro puro.

- Aqui está! - exclamou Hórus. Amanhã estará tudo pronto!

- O quê?

- Espera e verás! - foi a resposta do deus, rindo-se divertido, perante o olhar curioso de João.

- Presumo que queiras tomar um banho e comer alguma coisa? Gostas de alguma comida em específico? - perguntou João, abandonando a salinha e seguindo para a cozinha.

- Ahm, bem… Eu nunca comi nada dos humanos, embora os nossos alimentos sejam idênticos aos vossos por fora. Os nossos são pura energia… - retorquiu Hórus, um pouco atrapalhado.

João riu-se.

- Estás na 3ª dimensão, por isso tens que te sujeitar as leis dela, certo? Tens de viver como um humano, apesar de teres dons divinos e essas coisas… Acho eu… - respondeu este, ainda mais atrapalhado do que Hórus. Não queria que o deus ficasse chateado com ele.

- Oh, não estou chateado, tu tens toda a razão! - respondeu este, sorrindo. Mas vais ter de me ajudar, porque aqui entre nós… - Hórus baixou a voz até ficar quase num murmúrio inaudível. - Eu nunca passei muito tempo entre os humanos, esta será a minha primeira vez! Das outras vezes, venho só para me divertir um pouco e vou logo embora!

João começou-se a rir, feliz. Entrando no jogo, respondeu num murmúrio:

- Por mim, tudo bem. Queres que te vá preparar um banho, então? Depois comemos alguma coisa?

- Sim! - foi a resposta.

Passados uns minutos, chamou Hórus. Este andava entretido a fazer nascer flores no jardim e a aumentar as heras que protegiam a casa de olhares indiscretos. Estava mesmo satisfeito.

- Estás a gostar da vida terrena? - perguntou João.

- Era capaz de me habituar! - respondeu Hórus, feliz.

- Pois, queria-te ver a viveres cá, mas sem poderes divinos! Vá, pró banho! - rematou João, convidando o deus para uma grande banheira, da qual emanavam uns cheiros muito agradáveis.

A banheira estava quase cheia de espuma. Hórus despiu-se e sentiu um prazer imenso ao entrar naquelas águas.

- Hummmm… Que bom! Anda também! Está mesmo agradável! - exclamou, sorrindo.

Encolhendo os ombros, numa atitude de “e porque não, afinal, que mais me pode acontecer hoje?”, João despiu-se e entrou na banheira.

- Olha lá, tu nasceste com esta cabeça de falcão ou isto é uma máscara que tu podes retirar? - perguntou, aproximando-se de Hórus e timidamente tocando no rosto deste pela primeira vez.

- É uma máscara, sim. A energia que está implantada em mim advém desta criatura a que chamas falcão. Incomoda-te? Queres ver o meu rosto? - sussurrou Hórus, tocando no rosto de João, fazendo-o corar que nem um tomate.

- Desculpa... Não me leves a mal, é só que... É a primeira vez que vejo um ser como tu…

- Não tens que pedir desculpas, meu querido João, eu compreendo. Eu já vi que tu és muito genuíno, por isso, a ti, vou mostrar o meu verdadeiro rosto. Espero que não te assustes...

Hórus mergulhou na banheira e quando veio à tona, a máscara começou a quebrar-se…

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Chuva de Meteoros Líridas 2015!

Entre os dias 15 de Abril e o dia 25 de Abril, estará a decorrer uma chuva de meteoros na constelação de Lira! Este fenómeno, criado pelo cometa C/1861, terá a sua maior ênfase durante a madrugada do dia 21 de Abril para 22 de Abril, com um pico de 15 meteoros por hora. Podem visualizá-lo a olho nú, sob a constelação de Lira, observando ao redor da estrela Vega, a estrela mais brilhante dessa constelação.

liridas-showers

Se quiserem, podem procurar no seguinte aplicativo, para terem indicações precisas: Sky Map.

Sensibilizar & Consciencializar - É Preciso! [11]

lucas-vasconcellos

Lucas Vasconcellos [na foto acima] é um jovem brasileiro de 23 anos. Na semana passada, ele decidiu contar ao seu irmão de 8 anos sobre a sua expressão sexual, tentando explicar-lhe que era homossexual e o que isso significava. O que ele não estava nada à espera era da resposta deste! Eis a conversa entre os dois irmãos, publicada pelo Lucas:

“Hoje eu contei para o meu irmãozinho que eu era gay.

Após muitos anos desde que descobri a respeito da minha sexualidade, sobre o gênero que desperta uma paixão realmente autêntica em mim, finalmente cheguei a decisão de confiar a minha realidade a essa pessoinha com quem mais me importo na vida.

Dividi isso de maneira bem pedagógica, tentando criar uma analogia sobre as pessoas e suas cores favoritas. Dizendo que têm pessoas que gostam mais de preto, ou branco, ou azul, ou amarelo, ou vermelho; explicando sobre o quão legal isso fazia do mundo. Que todos podemos gostar de cores diferentes, e ainda assim sermos felizes e respeitados ao colorir nosso mundo com elas.

Ele parecia saber que eu ia confessar algo. Mergulhou num estado quieto e pensativo durante a explicação inteira, e então, por fim, resolvi assumir minha sexualidade. Ele continuou me olhando, bem calmo e sorrindo, tão natural, e eu o questionei:

“Tu sabe o nome que se dá a quem gosta de pessoas iguais, John? Homens que gostam de outros homens, e mulheres que gostam de outras mulheres?”

Eu estava preparado para soltar a palavra “gay”, já na ponta da língua quando ele simplesmente me escancara a verdadeira resposta:

“Amor?”

E então eu chorei.

“Não chora”, ele disse, me abraçando.

Ele me olhou com aqueles olhos, cheios de inocência e de mesmo tons que os meus, e eu senti que pela primeira vez ele me enxergava como eu realmente era. Um irmão que ele amava, um amigo que ele jamais perderia e, mesmo uma pessoa qualquer com uma preferência diferente por quem se apaixonar, ainda assim uma pessoa igual a qualquer outra.

Eu soube disso pela resposta dele. Pela bondade em cada palavra. Uma criança de oito anos de idade soube encarar algo tão natural com mais maturidade que muito adulto. Mais que meus próprios pais, inclusive, que sempre me negaram o direito de confidenciar isso ao meu irmão.

Aproveitem pra aprender da pureza deles, que a maioria esquece ao crescer, pois eu acho que as maiores verdades dessa vida estão no coração dos pequenos.

E a vida continua como se nada tivesse mudado.

E do fundo do coração, eu agradeço por isso.”

lucas-vasconcellos-e-irmão
Valeu Lucas! Tu tens aí um grande irmão! ^^

quinta-feira, 16 de abril de 2015

10ª Edição BookCrossing Blogueiro / 4ª Edição BookCrossing Blogueiro Kids!

Eis que começou a 10ª Edição do BookCrossing Blogueiro e a 4ª Edição do BookCrossing Blogueiro Kids!

book-crossing-blogueiro

Podem ler aqui sobre esta iniciativa. Ela decorre entre hoje e 23 de Abril. Eu vou libertar 3 livros para cada edição, sendo eles os seguintes:


Os meus livros serão libertados esta sexta e sábado! ^^
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...